Em transgressão

Cop: Pois é, o Sr. encontra-se em transgressão.
Moi méne: Eu? Ora explique lá…
Cop: Está há mais de 60 dias em Angola e está a conduzir com a carta portuguesa.
(…)
Cop: Mas pronto, arranja só qualquer coisa para eu comer.
(Dei-lhe 400 kwanzas)
Cop: Não chefe, qualquer coisa para almoçar.
Moi méne: Então, esta é p’ró funge e esta é p’rá kizaka (a mostrar uma nota de cada vez).
Ah…, diz ele, mete só uma p’rá carne seca.
😀

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Pessoais e transmissíveis. ligação permanente.

5 respostas a Em transgressão

  1. gugu diz:

    Aqui só é tudo mais escondido e é aos milhões, como diz o meu pai para isto ser Angola (neste aspecto) só falta os bosses serem negros.

  2. engricky diz:

    eh eh, o teu pai partilha do teu humor 😉

  3. Telmo diz:

    400 Kwanzas são 4 euros, não é?
    Os gajos não estão pra brincadeiras…
    Se lhe desses 500 ele era capaz de te arranjar uma carta Angolana.

  4. Miguel A. diz:

    Antes pelo contrário: 400 kz é uma ‘brincadeira’ de penteio, né, Eng.º?

    Os meus nunca são de 1.000 para baixo…

  5. engricky diz:

    É verdade, 400 kz é só aquela amostra. Depois dei-lhe mais 200 pela simpatia do homem (é que ele ficou a rir-se comigo). Normalmente é de 1000 para cima.
    Fora aquela vez que fui apanhado no Miramar e os enganei com notas de 1 dólar e de 10 kwanzas. Estava sem documentos nenhuns, fiz-me de burro e entreguei-lhes um maço delas. Depois foi arrancar antes que eles fossem para um sítio com luz contá-las 😀

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s